sexta-feira, 29 de outubro de 2010

APITO DE LATA ASSOCIA-SE Á DEFESA DA ARBITRAGEM PORTUGUESA!

Como é do vosso conhecimento, os árbitros, através das mais diversas entidades/associações têm vindo a tentar sensibilizar o Governo, através do Sr. Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, para a grave situação que está a ser colocada ao sector da arbitragem e do ajuizamento desportivo, no que se refere ao Regime Fiscal e a partir do dia 1 de Janeiro de 2011, o novo Código contributivo da Segurança Social, que também irá ter consequências muito gravosas para o sector da arbitragem.

Este processo decorre há mais de 4 anos, não tendo tido a evolução desejada, apesar de promessas por parte do poder politico, no sentido de criar condições que tenham em atenção a especificidade da actividade de Árbitro e Juiz desportivo.

Na Sexta-feira, dia 22 de Outubro, reuniram em Leiria, A APAF, com os Conselhos de Arbitragem Distritais, e um representante do CA da FPF, e da CAJAP, onde voltaram a analisar a situação, que se irá agravar ainda mais a partir do dia 1 de Janeiro de 2011, com a entrada do novo Código Contributivo da Segurança Social, o qual irá obrigar os Árbitros e Juízes desportivos, que não descontem para a Segurança Social, a uma contribuição mensal, que no mínimo será de cerca de 183 euros.

Na referida reunião foi consensualizado, que devido à falta de resposta, por parte do poder politico, face a este grave problema, que vem penalizando os Árbitros e o sector da Arbitragem, que os Árbitros, Árbitros Assistentes, Observadores e Cronometristas de todas as categorias de Futebol e Futsal, devem ficar indisponíveis de actuar nas competições em que actuam na Jornada do fim de semana de 6 e 7 de Novembro de 2010.

O Apito de Lata vem manifestar a sua solidariedade para com este movimento. Como demonstração desse apoio iremos, sem prejuízo da nossa regular actividade, manter este post como notícia de destaque até ao dia 7 de Novembro.

Reiteramos que o sector da Arbitragem, não quer ter sobre estas matérias qualquer tipo de privilégios, queremos tão só, que tenham em atenção a especificidade da nossa actividade.

Estamos seguros que todos unidos conseguiremos atingir os objectivos que melhor servem a Arbitragem portuguesa.

O Apito de Lata está ao lado dos árbitros, na defesa da arbitragem!

2 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

caros colegas
a minha dispensa para os dias 5,6 e 7 ja se encontra na AFE
nunca se esquecam: um homen consegue facilmente dobrar um ramo, mas nunca dobrará a arvore.
resumo disto apenas aquela famosa frase que todos conhecem
a uniao faz a força
abraço a todos e boa luta
joaquim marques

28 de outubro de 2010 01:21  
Blogger CBF disse...

CARTÃO VERMELHO A MEDIDA INACREDITÁVEL

Os jovens árbitros, estudantes sobretudo, vão ter de se colectar e passar recibos verdes como se fossem empresários em nome individual. Nessa altura estão a assumir um compromisso para com a Segurança Social que é pagar 183 euros mensais independentemente do número de jogos que irão realizar em cada mês. Jogos esses que, no caso dos jovens, muito dificilmente chegará à dezena e não irão auferir mais do que 10 euros por jogo. Se se fizer as contas à época desportiva, então teremos 8 meses de actividade e 12 a pagar ao Estado.


Ser jovem, gostar de futebol e querer servir este desporto como árbitro não vai ser possível a partir de Janeiro do próximo ano. Para ser ter uma ideia da realidade e da luta dos jovens árbitros, estes, com 15, 17 ou 17 anos, por exemplo, vão perder os Abonos e ficar obrigados a pagar, por mês, 180 euros para a Segurança Social.

Perante medidas tão aberrantes é de salientar o apoio manifestado pelos árbitros do futebol profissional a jovens que são o futuro da arbitragem portuguesa. Vamos ver se na altura própria, a solidariedade não se transforma em palavra vâ.
Estou com enorme expectativa em saber como isto vai terminar.
Esta luta, JUSTISSIMA, pode servir de exemplo para que os clubes, sobretudo do Futebol Amador, acordem e se unem em defesa dos seus interesses enquanto é tempo.
É preciso demonstrar a importância do futebol no contexto do quadro económico do País. É errado o que se divulga acerca do apoio que os clubes recebem do Estado. Neste momento que tanto se fala em Orçamento do Estado, era bom que houvesse um estudo, sério, sobre o que os clubes pagam de impostos para o Estado, desde o mais pequeno ao maior. Todos pagam.
Estes impostos que querem impôr aos jovens árbitros é INACREDITÁVEL.

29 de outubro de 2010 03:17  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial